A vida de atendimento e o que aprendi em 2016…

Este ano foi, sem dúvida, um dos mais memoráveis de minha vida – pelo simples fato de que foi o ano em que mais aprendi em todos os sentidos. Quantos momentos, quantas histórias e quanta gente maravilhosa que entrou na minha vida. Gratidão é – com certeza – a palavra da vez. <3

Mas o que eu queria mesmo compartilhar é o “balanço” de 2016. Este ano que começou todo torto e que acaba como um dos melhores que já vivi. 🙂

Uma das decisões mais “desafiadoras” que tomei em 2016 foi mudar de profissão. Como muitos sabem, eu sempre fui uma pessoa apaixonada por internet e principalmente por pessoas, motivo pelo qual trabalhei 8 anos no mercado de Social Media. E particularmente amo esse mercado até hoje (SDDS <3). Mas em 2016 resolvi me jogar em uma nova função, me libertar de alguns vícios comportamentais e sair da zona de conforto (um pouco poético e clichê, mas ainda assim real) por dois motivos muito simples:

 

1º. Porque sou curiosa

Isso cês já sabem né? Desde criança meus pais sempre me incentivaram a conhecer novos mundos, motivo pelo qual, ainda na infância, fiz: ballet, teatro, futebol, ginástica olímpica, aula de circo, de massagem, de piano, de desenho, etc. E o reflexo disso é que, quando cresci, não tive medo de fazer coisas distintas: já fui assistente financeiro, web designer, designer, analista de seo, analista de mídias sociais e afins.

“Nós continuamos seguindo em frente, abrindo novas portas e fazendo coisas novas, E sabe por quê? Porque somos curiosos e a curiosidade nos conduz por novos caminhos. – Walt Disney

 

2º. Para aprender coisas novas (e consequentemente sair um pouco do automático)

“Você vai ter que se dispor a sair da sua zona de conforto e ir além do que você se julga capaz de fazer.” Diane Paulus

E de todas as funções que vocês podem imaginar, eu fui me aventurar em: ATENDIMENTO. SIM, eu disse atendimento… e, errrr, eu sei que se vocês me perguntassem até o ano passado “Ju, fala aí uma profissão em que você não se imagina?” minha resposta seria justamente essa: atendimento. Mas sabe, que bom que a vida tem esses momentos em que a gente decide inverter o lado da mesa para tentar ampliar um pouco a visão que temos de tudo e tirar um pouco desse preconceito (que significa “pré-conceito”, né?). No meu caso, particularmente, isso foi bem engraçado. Porque, como sempre fui execução/coordenação, virar atendimento foi, sem dúvida, uma experiência e tanto. E no fim, tenho que admitir que estou amando a profissão. <3

Mas antes de relatar meus aprendizados com essa nova experiência, vou deixar minha sugestão de trilha sonora para a leitura. (Aí, quem sabe, você entra na minha vibe. MESMO porque esse treco de trilha sonora pra post é bem Disney, então eu gosto! HAHAHA)

 

  • Basta ter boa vontade

Você não precisa saber de tudo a todo momento. Mas coragem, humildade e principalmente boa vontade são essenciais para que você absorva o máximo possível de cada situação.  🙂

“Se a pessoa tem coragem e generosidade suficientes, o resto a gente pode ensinar. Para mim, a criatividade tem a ver, antes de mais nada, com coragem – a disposição de correr riscos, experimentar coisas novas e compartilhar experiências com os outros.” – Diane Paulus

 

  • O medo do novo sempre vai existir

Isso é um fato. Acho que ninguém é 100% seguro de tudo o que faz o tempo todo né? Mas se você sempre der o melhor de si e se dispor a ouvir as pessoas, com certeza isso vai te ajudar muito. <3

Uma coisa que aconteceu comigo (que sou rata de internet desde os 11 anos) é que este ano, pela primeira vez, tive que participar de uns projetos totalmente offline. Mas adianta se descabelar? NOPE. E mesmo sem nunca ter feito isso na vida – a não ser na faculdade – acabei descobrindo que não era nenhum bicho de 7 cabeças. E no fim, isso serviu para me dar mais confiança. 😀

“Enfrentamos nossos medos todos os dias. O fato é que QUEREMOS nos assustar um pouco, a fim de atingirmos os nossos limites e ultrapassá-los. É preciso lançar-se do precipício primeiro, para só então começar a voar. O maior perigo não é fracassar, mas acomodar-se, atingir uma determinada altitude e colocar no piloto automático.” – Maurice Morenz

 

  • É possível aplicar tudo o que você sabe – mesmo trabalhando em outra área

Por mais óbvio que isso possa parecer, eu nunca tinha parado para cogitar essa possibilidade. Lerda? Talvez.

Quando comecei a trabalhar com atendimento, acabei percebendo o seguinte: ao ser o ponto de contato entre meus colegas e o cliente, eu poderia usar um pouquinho de todos os meus conhecimentos para tentar facilitar o trabalho da equipe ou a venda dos projetos. E trabalhar dessa forma têm feito as coisas fluírem muito bem, diga-se de passagem. 😀

 

  • Usar meu lado racional/metódico/freak da organização facilita o entendimento de todos

Quem já trabalhou diretamente comigo em meus anos como coordenadora de Social Media talvez entenda melhor esse tópico. Eu sou aquele tipo de pessoa que quer, sim, pegar na mão e ensinar a andar, sabe? Sou do tipo que, se alguém precisar de ajuda, eu paro o que estiver fazendo – não importa o que seja – para explicar ou até mesmo acompanhar a pessoa. Afinal, a ideia é que, trabalhando juntos, os resultados sejam melhores né?

E como sou orientada pelo meu racional 90% do tempo, organizar as informações de forma hierárquica acaba sendo essencial para que eu consiga fazer um bom trabalho. E quando consigo fazer isso para facilitar a vida dos outros, acaba sendo bastante gratificante.

 

  • As coisas podem ser aplicadas de uma forma diferente

A vida também é feita de reflexões né? E o tempo todo temos exemplos no mercado, sejam eles bons ou ruins. O negócio é aplicar o que é bom e evitar reproduzir os ruins. Afinal, se não for ajudar, não atrapalha né? HAHAHAHA!

Tá, isso foi só um pouquinho do que aprendi neste ano maravilhoso. E eu espero, de coração, que cada vez mais a gente possa se descobrir e se surpreender com essas pequenas coisas. Porque a viver é sempre um aprendizado. 🙂

“Esteja sempre disposto ao aprendizado, e não se esqueça que, quem já sabe tudo é porque não aprendeu nada.” – Sérgio Vaz

2 Responses to "A vida de atendimento e o que aprendi em 2016…"

  1. Me deve dois Chopps
    Me deve dois Chopps 3 meses ago .Responder

    A zona de conforto é muito perigosa mesmo. Infelizmente muitos de nós demoramos muito para descobrir que entramos na zona de conforto e ficamos estagnados, afinal, a zona de conforto é confortável né jovem. 😉

    De alguma forma acho que temos algo em comum, pelo menos pela sua descrição e o que eu acompanho a distância: organizada, metódica e não tem medo de errar.

    Buenas, preciso ir. Continue assim e vamos Avanti! jovem.

    ___________________________________________

    Pra você que curte citações, separei algumas que costumo usar:

    “Vencedores sempre querem vencer de novo.” Harvey Specter

    “Quando eu estou em um caso, a unica coisa que existe é, 0% de chance de eu perder.” Harvey Specter

    “Eu não tenho sorte, eu faço minha própria sorte!” Harvey Specter

    “Só porque você é um novato não significa que você precisa pensar como um…” Harvey Specter

    “Ajuste sua estratégia com base na observação das reações emocionais das pessoas.” Harvey Specter

    “Você nunca ganhará muito se ficar apenas se preocupando em minimizar as perdas!” Harvey Specter

    • Juliane Harada
      Juliane Harada 2 meses ago .Responder

      Alô senhor das frases (vulgo Leonardo HAHAHA) aqui vai uma frase referente aos chopps: Devo não nego, pago quando puder. 😛

      Obrigada pelo feedback e por compartilhar as frases, Leo. Vou tentar assistir Suits e te aviso 😉

      Beijo e vamos avanti!

Deixe uma resposta